Habemus Papam

“Deus colocou a eternidade no coração do homem” Eclesiastes 3:11

papa-francisco2

No último dia 08/03, o jornalista Ricardo Boecha, em entrevista ao filósofo Mario Sergio Cortela, no programa Canal livre, na Rede Bandeirantes, fez uma pergunta que me chamou a atenção:

Toda esta cobertura da imprensa mundial em torno da sucessão papal se justifica?

Desde a renuncia de Bento XVI, realmente não se fala em outra coisa.

A expectativa é tão grande que contamina a todos.

Até mesmo aqueles que não têm, ou não vivem de acordo com uma religião.

Eu fui correndo ligar a TV, quando soube da fumaça branca.

Todos, por motivos variados, paramos porque precisávamos saber quem seria o novo líder maior da igreja católica.  Até mesmo os que não são católicos.

Aqueles que não puderam ver ao vivo, por qualquer motivo, não escaparam da curiosidade em saber quem era ele.

Por que este interesse todo?

Interesse maior ainda quando do anuncio do novo Papa Francisco.

Quem é ele? De onde?

Ele prepara a própria comida! Anda de ônibus!

Mas o que mais chamou atenção em sua primeira aparição como Papa:

Ele sorri!

Tem senso de humor!

A partir daí, parece que um sopro de esperança invadiu os expectadores. Todos os expectadores!

Sim, o Papa é gente boa! Ele vai falar comigo, do meu jeito! A igreja católica vai ficar mais amável.

Esta é a esperança! Esperança de renovação! Todos querem esta renovação na igreja!

Por quê?

Porque no fundo, todos, todos mesmo, somos órfãos sem Deus!

Mesmo quando se afirma que Deus não existe, a crítica se dirige à igreja, aos cristãos, às regras. Dificilmente se critica primariamente a Deus.

O mundo se comporta como um adolescente, que no fundo quer sentir a segurança de ouvir um não dos pais.

E no fundo queremos que este pai seja Deus. Há um desejo, uma torcida mesmo pra que Ele exista.

A luta dos que preferem se relacionar com pessoas do mesmo sexo, por exemplo, não é contra Deus, mas contra aqueles que dizem que eles não podem se relacionar com Deus.

A luta daqueles que querem usar embriões em pesquisas de células tronco, daqueles que querem usar camisinha ou dos que são a favor do aborto não é contra Deus também, mas contra aqueles que dizem que eles não são de Deus por fazerem estas coisas.

Do contrário, pra que tanta briga? Se Deus não existe mesmo, por que se preocupar com a opinião de um grupo de pessoas desinformadas e supersticiosas acerca dos assuntos acima?

Mas a presença do debate com religiosos revela a preocupação.

A preocupação de que Deus não me aceita como sou! Dentro de nós não podemos aceitar que Ele não me aceite.

Por isto, todo a atenção pra aquele que se diz representante de Deus na terra! Representante de nossos anseios como órfãos que somos. Não é atoa que Ele é chamado de Papa (Pai).

Pra mim está claro, que o sorriso do Papa revela que no fundo, o que queremos mesmo, é ver o sorriso de Deus através de seus representantes, já que não podemos vê-Lo face a face.

Então como cristão só me resta dizer duas coisas:

Aos não cristãos: Não desistam de sua busca!

Aos cristãos: Seja o sorriso de Deus para as pessoas!

Porque “Habemus Papam” (Temos um Pai) é o que a maioria das pessoas realmente gostaria de dizer.